fbpx

Aprendizagem mão na massa: conheça três grandes benefícios dessa tendência

Aprendizagem mão na massa

O famoso termo “faça você mesmo” (do inglês “Do It Yourself”) passou a ser visto como um precioso aliado no segmento da educação quando evoluiu de uma simples expressão utilizada em outros contextos para uma poderosa ferramenta dentro da revolução na aprendizagem que temos observado. Colocando o aluno no centro do aprendizado, especialmente em fases tão determinantes como a da educação infantil, esse tipo de aprendizagem mão na massa vem crescendo gradativamente e prometendo resultados impactantes como nunca antes visto.

A infância é, de fato, um período em que é comum o ato de querer “ver com as mãos”, então, a partir disso, experiências com blocos, massa de modelar, observações e brincadeiras são frequentemente propostas e promovem experimentos e vivências únicas. Entretanto, ao avançar nos ciclos de aprendizagem, essa prática cede cada vez mais espaço a uma grade curricular tradicionalista e formal.

A aprendizagem mão na massa vem propondo ao longo dos últimos anos um resgate necessário do ato de “aprender fazendo”. Com isso, o aluno tem contato com uma maneira mais prazerosa e lúdica de assimilar conteúdos.

Assim, a transmissão de conhecimento da forma como nos lembramos – repleta de aulas teóricas, provas, hierarquia e conteúdos desconectados da realidade – passa a ser vista como obsoleta. Essa tendência busca, acima de tudo, reiterar o conceito de um aprendizado mais significativo para os alunos.

E para você que quer saber mais sobre essa importante tendência hands-on, continue lendo e entenda tudo sobre a aprendizagem mão na massa e algumas das principais vantagens de aprender assim. Aproveite o conteúdo!

Aprendizagem mão na massa e metodologias ativas: uma revolução para alunos, professores e sociedade!

Permitindo que o aluno tenha muito mais autonomia e um papel central no seu próprio aprendizado, a educação mão na massa estimula uma metodologia de ensino em que se possa explorar, pesquisar, criar, jogar, planejar e executar as mais diversas atividades em prol da absorção do conhecimento.

Nesse sentido, nas salas de aula que estão alinhadas com o conceito, passamos a observar espaços diferenciados em que as carteiras mudam das tradicionais fileiras para outro agrupamento, buscando maior produtividade e interação. Nessa nova dinâmica, um aluno fica de frente para o outro, transformando a sala em um ambiente mais acolhedor e inovador.

A aprendizagem mão na massa busca, então, trazer essa essência para todas as etapas da escola, desde os primeiros anos escolares. Seus excelentes resultados nos locais onde já é adotada são significativos quando ela é comparada à aprendizagem convencional.

Como exemplo, temos as pesquisas feitas pela Universidade de Stanford, em que os estudantes que tiveram contato com esse tipo de aprendizagem obtiveram um desempenho 30% maior do que os colegas que realizaram um mesmo exercício de maneira convencional.

Assim, aliada às metodologias ativas, a educação mão na massa é capaz de gerar impactos ainda maiores no ensino-aprendizagem, em vários níveis. Ambas representam maneiras muito mais eficazes de desenvolver competências cognitivas e socioemocionais indispensáveis para os cidadãos e os profissionais do futuro.

Mas como fica a figura do professor nesse processo de profundas mudanças? Em um contexto em que o aluno é estimulado a ter cada vez mais autonomia, o papel do professor que está alinhado a essa tendência também se modifica. Com isso, o educador assume um papel em que deve permitir que o aluno lidere o processo em algumas situações, quebrando hierarquias e horizontalizando o ensino-aprendizagem. 

Nesse sentido, com tantas mudanças e melhorias, os resultados são indiscutíveis. Com isso, reunimos abaixo alguns dos principais ganhos que a aprendizagem mão na massa proporciona. Confira!

1. Auxílio no processo de inclusão e na formação da cidadania

Com enorme potencial em ferramentas educacionais, as atividades dentro do escopo da aprendizagem mão na massa possuem também importante papel no que concerne nossa estrutura social. A formação de um cidadão envolve a inclusão, o respeito às diferenças e o engajamento, itens que a tendência visa promover.

Destarte, utilizar o próprio conhecimento e as próprias mãos para engajar-se, produzir conhecimento e melhor compreender o mundo em que vivemos é uma importante ponte para o futuro, possibilitada pela educação mão na massa.

2. Promoção do desenvolvimento do pensamento crítico e de habilidades como a resolução de problemas

As atividades desenvolvidas de forma mais prática conseguem melhorias visíveis no desempenho de diversas disciplinas da grade curricular, justamente por estimularem formas criativas de reforço do pensamento crítico e de habilidades de lógica. Ambas habilidades fundamentais são cruciais para todos os tipos de disciplinas acadêmicas, especialmente as atividades comuns como redação, leitura e compreensão de textos, cálculos e até aquelas voltadas às ciências.

Muitos estudiosos associam a aprendizagem mão na massa ao conceito de “design thinking”, processo utilizado para o desenvolvimento de novos protótipos e aperfeiçoamento de projetos já existentes. Assim, na educação hands-on, a maneira como os alunos pensam é moldada de forma a facilitar o surgimento de inovações em suas mentes.

3. Provocação do desenvolvimento do caráter e de propósito

Com a aprendizagem mão na massa, os alunos não apenas conseguem ser capazes de assimilar melhor os conteúdos, mas também tornam-se mais resilientes diante dos desafios impostos no percurso. Para além disso, seu desenvolvimento no que tange o caráter e o senso de propósito também são provocados e desenvolvidos em conjunto.

Ademais, educadores adeptos afirmam conseguir ver o poder da metodologia ao mostrar aos alunos que eles são criadores e que seu conhecimento, bem como as ações produzidas a partir dele, podem impactar efetivamente o mundo em que vivem. Os alunos que aprendem fazendo não são avaliados por meio de “decoreba” em provas escritas, mas são encorajados a compartilharem percepções sobre os problemas apresentados, buscando resolvê-los por meio da construção de projetos.

Os entusiastas desse tipo de aprendizagem, especialmente no Brasil, têm total consciência de que a aprendizagem mão na massa ainda é um desafio considerável. Quando falamos no contexto das escolas públicas, as coisas se tornam ainda mais complicadas, mas nada é impossível, afinal, é somente a educação que tem o potencial de modificar os contextos em que vivemos social e economicamente.

Assim, modificar o comportamento de gestores, educadores e demais profissionais da educação é fundamental para que essa aprendizagem seja efetivamente aplicada. O professor pode se utilizar desde práticas simples até as mais sofisticadas, com diversas tecnologias, para que o aluno consiga aprender melhor e com a prática atrelada à teoria.

É mais do que necessário que nossas crianças e jovens tenham contato com uma forma de aprendizado baseada na vivência e que tenham a oportunidade de trabalhar com propostas mão na massa, constituídas por metodologias ativas. Seja para melhor lidar com a resolução de problemas ou para vivenciar a própria construção de conhecimento como um todo, é importante entender que pode ser divertido aprender fazendo, criando e brincando!

E por falar em aprender fazendo, você já conhece o programa multimodal que apresenta uma dinâmica de ensino e aprendizagem totalmente nova, unindo tecnologia e ludicidade? Estamos falando do De Criança Para Criança. Saiba mais sobre o nosso trabalho acessando nosso site e entenda como podemos ajudar você a fazer parte das mudanças no modelo de educação que estão acontecendo no mundo inteiro!

Aprendizagem mão na massa: conheça três grandes benefícios dessa tendência
Rolar para o topo